Compartilhe essa notíciaShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Share on LinkedIn0Pin on Pinterest0Email this to someone

Com a popularização da Internet o ser humano teve uma mudança comportamental perceptível, podemos destacar nesse contexto a mudança em seu modo de consumo, de tradicional (aquisição em lojas físicas ou de serviços em escritórios) para compras e/ou contratações de serviços online.

Os motores disso são a comodidade, facilidade, maior concorrência que permite queda nos preços, produtos regionais que podem ser encontrados na web e distribuídos por todo o território nacional e dependendo até internacionalmente, informações e indicações de produtos facilmente encontradas na Web, entre tantos outros que impulsionam o comércio virtual de serviços e produtos.

Observando do ponto de vista de um empreendedor podemos perceber grande oportunidade para uma nova carreira, um novo comércio ou uma extensão de um comércio já existente. Vamos aos números para que possamos detalhar melhor o que estamos abordando como tema.

Tratando diretamente de E-commerce os números são de impressionar, com a crescente venda de computadores e o aumento do acesso a internet esses números tendem a ter um crescimento cada vez mais expressivo.

Como referência podemos citar o CEO da Amazon que com toda sua experiência prevê o crescimento de 10% a 15% em menos de uma década no comércio americano, em valores podemos dizer algo em torno de meio trilhão de dólares anuais. Isso lá, aqui no Brasil temos esse mercado que ainda não está maduro então a tendência de crescimento percentual é maior.

Atenção à nossa realidade que é um quadro estável e muito promissor. No Brasil tivemos um crescimento considerável, algo em torno de 2.300% em uma década, chegando ao valor de R$13 bilhões (2010). Nenhum outro setor tem crescido com tamanha agressividade e estabilidade como o mercado virtual.

Levando em consideração o crescimento sustentável, a capacidade de rápida negociação e concorrência agressiva que permite um cenário favorável ao meu ponto de vista para quem quer empreender, o E-commerce é se não a melhor opção uma das melhores opções para investimento, seja para venda de produtos em varejo, atacado ou prestação de serviços.

Mas como chegar a resultados positivos nesse setor?

Um dos primeiros passos que não só no E-commerce mais em qualquer comércio é essencial – O planejamento.

Como estamos tratando de um novo cenário e com muitas variáveis torna-se necessário o serviço de consultoria ou contratação de profissionais da área para que nesse planejamento nada passe em branco, não adianta achar que o seu balconista (nada contra a função) vai dar conta de todos os pontos de um e-commerce. Vou citar alguns pontos dos quais em meus planejamentos tenho priorizado por perceber que há falhas em uma grande parte dos comércios virtuais que fecham prematuramente ou não conseguem atingir o crescimento esperado.

O primeiro ponto a se considerar é que esse planejamento não é de estratégia em Marketing e sim uma estrutura financeira, mobiliária, de pessoal, de ferramentas e levantamento dos parceiros para o projeto, só depois – marketing. Infelizmente a maioria quer primeiro pensar em investimentos com retornos diretos como no caso da comunicação, o problema é que deixam um parcela em vermelho no investimento sem considerá-la – que são todos os investimentos paralelos para que a operação e-commerce possa acontecer, o resultado disto é desastroso, pois a conta nunca fecha e o empreendedor se perde sem saber que rumo tomar.

Vejamos:

Estruturação Financeira – Considero a prioridade em qualquer projeto de comércio a ser empreendido. Nesse processo é necessário saber a realidade do empreendedor e ser ao máximo realista, não se podem exceder as possibilidades financeiras e nem reduzir custos onde não é sensato reduzir – Um exemplo é a escolha de uma plataforma ou desenvolvedor com pouca experiência ou talento no qual não vai poder prestar consultoria e atendimento em tempo hábil, esse é um dos pontos que tenho visto uma grande falha nos projetos e que tem prejudicado diretamente o caixa das novas empresas e até mesmo de empresas que já estão lutando por um espaço virtual, portanto a falta desse primeiro planejamento essencial fez com que tivessem a necessidade de uma reestruturação, ou seja, investimento e tempo perdido – Reestruturação é a resposta da questão do por que algumas empresas mudam de nome para desvincular os erros do passado, erroneamente – no meu ponto de vista, perdem a oportunidade de criar uma estratégia de Marketing 3.0, mais eficiente, porém pouco usado por se tratar de algo complexo e que exige muito desprendimento e desapego com o ego mercadológico para realizar a aplicação.

Estruturação imobiliária e ferramentas de trabalho – Como em todo comércio o E-commerce exige um local para a equipe trabalhar, fazer reuniões, confraternização e outros ambientes. Portanto uma das coisas que percebo é a falta de equipamento necessário para um projeto virtual, por exemplo, os Web Designers que ficarão responsáveis por um dos principais motivadores de compras – as imagens dos produtos disponíveis – necessitam de um computador com bom processamento, armazenamento e com softwares atualizados. Outra questão muito comum de que se percebe são empresas querendo ser empresas On-line sem que contratem um bom pacote de conexão, ou seja, imagina meia dúzia de computadores conectados e processando informações ao mesmo tempo com uma banda ‘estreita’ de 2mb. São esses fatores que não considerados previamente impossibilitam algumas estruturas de se tornarem qualificadas para o ambiente On-line. Imagina você ter a necessidade de um Update no Site para uma campanha promocional e sua conexão impossibilita que isso seja feito em pouco tempo e o pior, impossibilita que outros trabalhem ao mesmo tempo que o Update no site está sendo processado porque precisa liberar banda de conexão para somente esta tarefa.

Outra questão de estrutura é o estoque, sem estoque próprio os novos empreendedores on-line estão perdendo espaço, pois um dos critérios para a fidelização do cliente é o tempo de resposta do Site entre efetuar a compra X entrega do produto. Tenha seu estoque próprio, mesmo que pequeno, pelo menos sendo o suficiente para o seu fluxo e vá aumentando conforme a necessidade. Empresas que tem comércio físico tendem a usar estoque das lojas físicas, isso acarreta em mais atrasos e implica em concorrência entre lojas físicas e virtual, para evitar esse transtorno trate a loja virtual como uma loja física que exige um estoque próprio.

Outra questão é de fato que nem tudo é possível manter on-line, principalmente quando se trata de transferência de valores e pagamentos. Mantenha registros virtuais de todas as transações, portanto não ignore o fato de que é necessário também esses documentos impressos e arquivados para melhor acesso em caso de problemas técnicos. O calculo de riscos sempre tem que estar junto ao planejamento inicial.

Parceiros – Quando digo parceiros, estou me referindo à equipe de desenvolvedores, consultoria e marketing digital.

Os desenvolvedores serão os responsável pela estrutura do Site e sua plataforma de administração, existem aos montes como também existem opções Open-Source como a principal delas a plataforma Magento – portanto se tem a necessidade de um profissional WEB qualificado para tratar dos problemas que ocorrem sequencialmente em um e-commerce, de ambas as formas existirão custos. Esses custos não são baixos e também para quem está se reestruturando ou começando não precisa fazer um alto investimento, lembrando que a plataforma não é exatamente o que fará o e-commerce vender, existe um pacote de necessidades que precisa estar bem estruturado para que o projeto tenha um fluxo ideal. Atualmente praticamente todas as plataformas OpenSource são fiéis em entregar ferramentas excelentes de trabalho, a questão é que não é por ser OpenSource que é simplesmente grátis ou baratinho, e-commerce exige profissionais realmente competentes, lembre-se de que você está lidando com transações financeiras online e que tem responsabilidades comerciais e jurídicas quanto a isso.

A equipe ou profissional de consultoria é na verdade quem vai dirigir os procedimentos e contratos a serem feitos com os parceiros, como citei acima existem inúmeros critérios na hora de escolher uma plataforma ou desenvolvedor para sua loja virtual, existe também a necessidade de uma escolha certeira para o desenvolvimento de campanhas de marketing e designer, a consultoria de um profissional com visão estratégica lhe permite acertar em pontos cruciais do projeto, é esse profissional que fica responsável pelo fluxo e andamento de todos os procedimentos e-commerce.

Com a consultoria de um profissional qualificado fica fácil acertar na escolha da equipe ou empresa de Marketing Digital, portanto alguns ainda não consideram um investimento necessário para contratação de uma consultoria e deixam por sua conta e risco a escolha nessa área. O resultado é o que vemos constantemente – empreendedores desistindo porque a loja simplesmente não vende.

Esses profissionais em consultoria de E-commerce vão ditar as regras do jogo, são eles os responsáveis pelo sucesso ou fracasso da sua loja em ambiente on-line. Contratar uma equipe realmente profissional exige uma busca mais eficaz. Posso citar que como em todas as áreas existem os bons profissionais e os falsos profissionais, eu os classifico da seguinte forma – Talento x Teoria. Permito-me aqui o meu exemplo, hoje presto consultoria em E-commerce, principalmente para reestruturação de projetos que fracassaram, tenho interesse nessas áreas por ter me acostumado a lidar com situações de risco, fui Supervisor de Tecnologia da operadora de Telefonia TIM, Gerente de lojas físicas, Consultor de Vendas, Consultor de Merchandising, enfim tantas áreas que tratam de comércio de serviços e produtos que me permitiram ter uma visão ampla e dinâmica de um cenário de risco, assim o trabalho de reestruturação que para muitos é um risco não aceitável, para mim é um prazer motivador pela busca de resultados positivos. O talento nada mais é do que a facilidade que uma pessoa possuí por si só aprendendo com as experiências, já a teoria é algo que o profissional aprende em sala de aula, livros, artigos e outros sem exatamente ter ciência se aquele procedimento condiz com os resultados esperados e fica a mercê da necessidade de experimentações acarretando riscos ou atrasos no processo, creio sim que se juntarmos teoria para uma melhor compreensão dos fatos com o talento de dinamizar e planejar ações temos o resultado esperado para qualquer comércio – Sucesso.

Compartilhe essa notíciaShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Share on LinkedIn0Pin on Pinterest0Email this to someone

Sobre o autor

Pai, amigo, filho, cristão e geek... Luiz é consultor para projetos no ambiente on-line, gerente de projetos on-line e escritor/colunista. Apaixonado por leitura e novas tecnologias sempre está adiante do seu tempo e com os pés no chão para conseguir levar cada projeto ao próximo estágio. De perfil estratégico e organizado considera que o sucesso só vem depois da aplicação de muito esforço em função de um objetivo, concentrando-se em metas e alicerçando-se na capacidade de adaptação conforme a necessidade do mercado.

FacebookMore...